Total de visualizações de página

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Dissertação: o adulto precisa mesmo estudar?


Será que o adulto ( muito velho) deverá estudar, mesmo enfrentando as dificuldades ( até violência no meio do caminho) ? O que ele sabe não 'dá p o gasto'? E a cultura popular? Não é suficiente? E a tal sabedoria que vem com a idade, precisa mais? Hum........................................................

''Adultos contam os prejuízos de parar de estudar e desafios de retornar à escola



Cícera tem 73 anos e Marivaldo está com 43. Apesar da idade, os dois começaram a estudar recentemente. Élia, de 39 anos, ainda não está na escola, mas pretende iniciar os estudos em breve. Eles moram em São Paulo (SP) e enxergam no aprendizado um meio para melhorar suas vidas.
“Comecei a estudar para poder fazer alguns cursos depois, ao menos de porteiro, para que eu possa dar condição melhor à minha família”, conta Marivaldo Rodrigues de Souza. “Tenho uma professora muito boa, que sabe educar e explicar. A escola, abaixo de Deus, é tudo pra mim.”
Enquanto eles se empenham para retomar ou iniciar os estudos, do outro lado, um dos principais gargalos da educação brasileira continua sendo a evasão no ensino médio. Cerca de 40% dos jovens abandonam a última etapa da educação básica por desinteresse.
Para chamar atenção para o problema, o Instituto Unibanco lançou, nesta quinta-feira (11/8), na rede social Twitter, a Campanha Estudar Vale a Pena,  em razão do Dia do Estudante.
Na faixa de 24 a 35 anos, apenas 38% dos trabalhadores possuem o ensino médio. Também por isso, altos níveis de desemprego entre os jovens convivem com sobras de postos de trabalhos. As regiões Norte, Sul e Centro-Oeste do país já vivem o chamado apagão de mão-de-obra.
Ainda por falta de escolarização, trabalhadores acabam se submetendo a empregos precarizados. “Há dois anos e meio cheguei em São Paulo. Por não ter estudado, entrei em uma empresa terceirizada de limpeza, mas ganhava quase nada e decidi sair para estudar”, lembrou Marivaldo. Quando morava na Bahia, ele não teve oportunidade de frequentar a escola. Estava na zona rural e não tinha transporte.
Atualmente no primeiro ano do ensino fundamental, Cícera Tibúrcio Clemente disse que já sabe escrever o nome. “Eu sei porque eu procurei saber. Não pude estudar antes, mas agora conheci a professora Rosemeire. Além de me ensinar a ler, me ensina teclado”, disse.
Parabéns pra você, Noite Feliz, músicas de Roberto Carlos e Luiz Gonzaga, já fazem parte de seu repertório. “Estou muito feliz por isso. A escola é um lugar muito bom para a gente. Meu sonho, agora, é saber ler, pois a pessoa que não sabe é cega.”
O grande sonho de Élia Sandra Santos Caló também é começar a estudar. “Talvez as pessoas falem ‘ah, eu tenho vergonha de estudar’. Mas não tenha vergonha. Sabe por quê? Vergonha é você chegar a um lugar e não saber assinar nem um papel.”
Élia conta que na hora de fazer uma entrevista de emprego, tem dificuldade para preencher fichas. Ela também perdeu a oportunidade de ser governanta, porque não conseguia anotar recados. “O estudo é necessário para tudo o que você vai fazer. Nunca é tarde para isso”, acredita ela.
Segundo o estudo Education at a Glance 2010, na população brasileira de 25 a 64 anos, as taxas de emprego para homens com a educação secundária completa é de 87% e para as mulheres, 58%.
Para quem abandonou a escola, Marivaldo aconselha voltar. “Acho que deve recomeçar, retorne aos estudos. As pessoas têm que correr atrás de seus objetivos”, concluiu.
Assista abaixo aos depoimentos de Marivaldo, Cícera e Élia:

( se tiver tempo acesse os vídeos do Portal Aprendiz)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pesquisar este blog

Arquivo do blog