Total de visualizações de página

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Texto da Ellen que faz aula há dois meses.


Ellen só errou isto:
os sem-tetos..o certo é os sem-teto.

              Pesquisas mostram que há aproximadamente 13.000 moradores de rua na cidade de São Paulo. Esse número, embora pareça pequeno, causa grandes problemas para o governo e para a população.
                 Medidas governamentais, como a criação de albergues, são ineficientes, já que a maioria deles está localizada em regiões longe do centro da cidade e muitos não podem se movimentar até lá todos os dias. Por isso, a população dessa região, como forma de tentar espantá-los, está deixando de doar-lhes alimentos.
                 Essa ação pode agravar ainda mais a situação, porque, sem ganhar comida, vão começar a roubá-la. Foi o que ameaçaram. Porém, a população não pode alimentá-los para sempre. E, tampouco, o governo pode obrigá-los a dormirem em albergues, onde pelo menos teriam uma cama e uma refeição. A melhor solução seria a inserção deles na sociedade, por meio de emprego, para assim sustentarem a própria vida. Mas isso está longe da realidade.
                 Alguns sem-tetos são viciados em drogas e há ainda aqueles que desenvolveram problemas psicológicos. Seja por esses ou outros motivos, essa parcela da população já tem uma imagem negativa associada a si mesma, o que torna praticamente impossível conseguir arranjar um trabalho digno.
                Só nos resta ajudar aos que já estão morando na rua e evitar que outros acabem nela. Uma educação de qualidade - que melhorasse a qualidade de  mão de obra -  e leis mais rígidas contra as drogas já seriam o suficiente para surtir um leve efeito positivo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pesquisar este blog

Arquivo do blog