Total de visualizações de página

terça-feira, 25 de maio de 2010

Interpretando a música do Brasil. Podres poderes. Caetano Veloso

http://www.youtube.com/watch?v=PnyNLaBAUQI&feature=related

Podres Poderes

Caetano Veloso

Composição: Caetano Veloso
Enquanto os homens exercem
Seus podres poderes
Motos e fuscas avançam
Os sinais vermelhos
E perdem os verdes
Somos uns boçais...
Queria querer gritar
Setecentas mil vezes
Como são lindos
Como são lindos os burgueses
E os japoneses
Mas tudo é muito mais...
Será que nunca faremos
Senão confirmar
A incompetência
Da América católica
Que sempre precisará
De ridículos tiranos
Será, será, que será?
Que será, que será?
Será que esta
Minha estúpida retórica
Terá que soar
Terá que se ouvir
Por mais zil anos...
Enquanto os homens exercem
Seus podres poderes
Índios e padres e bichas
Negros e mulheres
E adolescentes
Fazem o carnaval...
Queria querer cantar
Afinado com eles
Silenciar em respeito
Ao seu transe num êxtase
Ser indecente
Mas tudo é muito mau...
Ou então cada paisano
E cada capataz
Com sua burrice fará
Jorrar sangue demais
Nos pantanais, nas cidades
Caatingas e nos gerais
Será que apenas
Os hermetismos pascoais
E os tons, os mil tons
Seus sons e seus dons geniais
Nos salvam, nos salvarão
Dessas trevas e nada mais...
Enquanto os homens exercem
Seus podres poderes
Morrer e matar de fome
De raiva e de sede
São tantas vezes
Gestos naturais...
Eu quero aproximar
O meu cantar vagabundo
Daqueles que velam
Pela alegria do mundo
Indo e mais fundo
Tins e bens e tais...
Será que nunca faremos
Senão confirmar
Na incompetência
Da América católica
Que sempre precisará
De ridículos tiranos
Será, será, que será?
Que será, que será?
Será que essa
Minha estúpida retórica
Terá que soar
Terá que se ouvir
Por mais zil anos...
Ou então cada paisano
E cada capataz
Com sua burrice fará
Jorrar sangue demais
Nos pantanais, nas cidades
Caatingas e nos gerais...
Será que apenas
Os hermetismos pascoais
E os tons, os mil tons
Seus sons e seus dons geniais
Nos salvam, nos salvarão
Dessas trevas e nada mais...
Enquanto os homens
Exercem seus podres poderes
Morrer e matar de fome
De raiva e de sede
São tantas vezes
Gestos naturais
Eu quero aproximar
O meu cantar vagabundo
Daqueles que velam
Pela alegria do mundo...
Indo mais fundo
Tins e bens e tais!
Indo mais fundo
Tins e bens e tais!
Indo mais fundo
Tins e bens e tais

blog ótimo sobre ortografia nova
http://reforma-da-ortografia.blogspot.com/

4 comentários:

  1. Genial!!! Esta canção escancara dentro de um contexto fabuloso a apatia para tirania do regime militar, para os olhos cegos e contraditório da Igreja e do quanto as pessoas fechavam naquele instante seus olhos para a monstruosidade imposta pela crueldade do militarismo no Brasil. Destaco também a brilhante forma que Caetano aborda a genialidade e saudando dentro de um questionamento, a existência de figuras do cenário musical brasileiro como Hermeto Pascoal, Tom Jobim, Milton Nascimento
    Será que apenas

    Os hermetismos pascoais
    E os tons, os mil tons
    Seus sons e seus dons geniais
    Nos salvam, nos salvarão
    Dessas trevas e nada mais...
    Logo após esta estrofe encontramos a manifestação e citação de outros artistas veja:
    Eu quero aproximar
    O meu cantar vagabundo
    Daqueles que velam
    Pela alegria do mundo...
    Indo mais fundo
    Tins e bens e tais!
    Indo mais fundo
    Tins e bens e tais!
    Indo mais fundo
    Tins e bens e tais

    Aqui suponho que ele cita Tim Maia e Jorge Ben Jor.

    Fantástico!!!!! Pena que hoje não existam mais figuras geniais dentro de nossa música, para ouvidos carentes de verdade do regime de miséria e apatia que ainda vivemos.....

    ResponderExcluir
  2. Não, Seu ( sua) ANÔnimo, quando Caetano compôs essa música já havia acabado o regime militar...fazia um tempão...

    ....

    Qto ao resto do que escreveu, eu concordo.

    ResponderExcluir
  3. Rose Marinho Prado, pelo que eu saiba e me lembre muito bem, o regime militar acabou em 1985 com as diretas já.

    ResponderExcluir

Pesquisar este blog

Arquivo do blog